Ciência


Já Ouviu Falar da Dioxina? Talvez Você Também Esteja Intoxicado.

No Brasil, o assunto é praticamente desconhecido e talvez você também nunca tenha sequer escutado este nome um dia. A dioxina é uma família de substâncias químicas que contém carbono, hidrogênio e cloro. A encontramos em boa parte dos alimentos, nos produtos de higiene pessoal, em produtos de plástico (principalmente quando entram em contato com algum tipo de calor), etc. Produtos que passem por um processo brusco de branqueamento e posteriormente entrem em contato com o nosso corpo liberam esta toxina e por consequência, nós a absorvemos. Ela é mais um tóxico causador de uma série de adversidades na saúde, incluindo o retardamento no desenvolvimento e aprendizado, falta de memória, anormalidades no sistema reprodutivo e imunológico, diabetes e possui alto potencial cancerígeno. Sem saber do perigo que esta substância causa ao entrar em contato com o nosso corpo, milhares de pessoas do mundo inteiro compram alimentos que já vem aquecidos em embalagens de isopor. Para melhor exemplificar tamanho malefício, apenas uma marmita de isopor é capaz de liberar uma quantidade de dioxina que equivale a 5 meses consecutivos bebendo diariamente pelo menos 4 unidades de uma bebida aquecida e posteriormente adicionada em embalagens de plástico ou isopor. Pra piorar, você sabia que já vem sendo intoxicado desde criança (por falta de conhecimento) pelos seus pais? Pois dificilmente se encontra alguém que quando bebê não tomou mamadeira em uma embalagem de plástico aquecida. Como se não bastasse, o governo não se preocupa em regular o transporte de galões de água mineral […]


Urandir ufo - medida da rotacao terrestre é feita pela primeira vez

A Rotação da Terra é medida pela primeira vez!

Fonte: Inovação Tecnológica  Um grupo com pesquisadores da Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, tornou-se a primeira equipe do mundo a detectar mudanças no eixo da Terra através de medições em laboratório. Até hoje, os cientistas somente conseguiam rastrear as mudanças no eixo polar indiretamente, monitorando corpos celestes “fixos” no espaço com a ajuda de 30 radiotelescópios. Para fazer uma medição direta, eles construíram o anel de laser mais estável do mundo, dentro de um laboratório subterrâneo, e o utilizaram para determinar as alterações na rotação da Terra. Balanço de Chandler A Terra oscila constantemente. Tal como um pião que é tocado enquanto gira, seu eixo de rotação oscila em relação ao espaço. Isto é em parte causado pela gravidade do Sol e da Lua. Ao mesmo tempo, o eixo de rotação da Terra muda constantemente em relação à superfície da Terra. Por um lado, isso é causado pela variação na pressão atmosférica, no movimento dos oceanos e no vento. Esses elementos se combinam em um efeito conhecido como oscilação de Chandler, ou balanço de Chandler, para criar o movimento polar. Levando o nome do cientista que o descobriu, esse fenômeno tem um período de cerca de 435 dias. Por outro lado, um evento conhecido como o “balanço anual” faz com que o eixo de rotação mova-se ao longo de um período de um ano. Isto se deve à órbita elíptica da Terra em torno do Sol. Estes dois efeitos fazem com que o eixo da Terra migre de forma irregular […]


O Cinturão de Fotons

O Sistema Solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades. Esta foi a conclusão dos astrônomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos. O nosso Sol, neste complexo, está localizado a aproximadamente 28 graus de Touro, e leva quase 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione. A divisão desta órbita por doze resulta em, aproximadamente, 2.150 anos, tempo de duração de cada era. Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas (incluindo o nosso), que foi chamado de cinturão de fótons. Um fóton é um quantum (partícula) de energia eletromagnética, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética, algo que ainda se tem pouco conhecimento na Terra. O fenômeno do Cinturão de Fótons é um fenômeno astronômico. Percebido pela primeira vez em 1961, detectado através de satélites, a descoberta do Cinturão de Fótons, marca o início de uma expansão da consciência além da terceira dimensão. Essa precessão do nosso sistema solar em sentido anti-horário ao redor de Alcione é um fenômeno cíclico e dura, aproximadamente, 25.650 anos. Para cada órbita completa em torno de Alcione, nosso Sistema Solar mergulha por duas vezes nesse anel de micro partículas de radiação, uma vez para o norte e uma vez para o sul. A passagem por este “anel de fótons” leva, aproximadamente, 2000 anos. Estudos indicam que […]


Urandir ufo - astronautas fotografam por do sol

Astronautas fotografam por do sol

Os seis astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional fotografaram um pôr do Sol na Terra visto do espaço. Os membros da expedição 27 registraram o momento em que a América do Sul anoitece. A foto foi feita por volta das 19:37, hora local,e foi divulgada em maio de 2011. Todos os dias os tripulantes vêem, em média, 16 vezes o Sol nascer e se por. Como estão desde março no espaço, e só devem descer em setembro, isso significa que terão passado por mais de três mil auroras e crepúsculos. Para alguém aqui na Terra, seriam necessários quase 10 anos para visualizar os fenômenos tantas vezes. 


Depósito de Terras Raras encontrado em Oceano Pacífico

 Fonte: BBC e Inovação Tecnológica Pesquisadores japoneses dizem ter encontrado vastos depósitos de minerais de terras raras, utilizados em equipamentos de alta tecnologia, no solo do Oceano Pacífico.Geólogos estimam que existam atualmente 110 bilhões de toneladas de elementos raros no fundo do Pacífico. Os pesquisadores japoneses estimam ter encontrado entre 80 e 100 toneladas de minerais raros no leito oceânico a profundidades entre 3,5 mil e 6 mil metros abaixo da linha d’água. O Brasil tem uma das maiores reservas de terras raras do mundo, mas virtualmente sem exploração Atualmente, a China responde por 97% da produção de 17 metais provenientes de terras raras, muitas vezes chamados de “ouro do século 21”, por serem raros e valiosos.  O quase monopólio de produção exercido pela China levou o país a restringir o fornecimento dos metais raros no ano passado, durante uma disputa territorial com o Japão. Esses minerais são usados em iPods, TVs de tela plana, carros elétricos, mísseis, óculos de visão noturna, turbinas e imãs supercondutores, por exemplo. Além da China, as reservas são encontradas também na Rússia, em outras ex-repúblicas soviéticas, nos Estados Unidos, na Austrália e na Índia. Terras raras no mar A descoberta foi divulgada pela publicação científica britânica Nature Geoscience, que relatou que a equipe de cientistas comanda por Yasuhiro Kato, professor de geociências da Universidade de Tóquio, encontrou os minerais em 78 locais diferentes na lama oceânica do Pacífico. “Os depósitos contêm uma uma forte concentração de terras raras. Apenas um quilômetro quadrado dos depósitos será capaz de atender […]

Urandir UFO - depósito de terras raras encontrado no pacífico - mineração no mar

urandir ufo mapeamento geotecnico

Mapeamento geotécnico não é eficiente na prevenção de desastres

As consequências dos desastres naturais do Brasil evidenciam cada vez mais, a fragilidade do país para lidar com o assunto. Hoje, apenas 3,4% dos municípios possuem cartas geotécnicas, um instrumento essencial para prevenir catástrofes naturais. Segundo um levantamento do governo federal, 735 municípios em nove Estados brasileiros têm áreas com risco de deslizamento. Do total, apenas 25 dispõem de cartas geotécnicas dos morros e das encostas. As cartas revelam aspectos fundamentais do problema e podem servir de base para a aplicação de ações das autoridades responsáveis. Em outras palavras, o mapeamento faz uma análise técnica do tipo de solo e das rochas, e da declividade das encostas de determinado local, além do comportamento do terreno frente a uma possível ocupação urbana, ficando mais fácil detectar os riscos reais da região. É claro, que só o mapeamento detalhado de uma região não bastaria. Ele só serviria num trabalho conjunto com ações governamentais. De qualquer maneira é um bom começo no qual ainda estamos longe. “O Brasil não tem um levantamento completo, sistemático, permanente e os estudos de risco geológico são essenciais, são o principal instrumento de segurança”, explica o geólogo Renato Eugênio de Lima, diretor do Centro de Apoio Científico em Desastres da Universidade Federal do Paraná. No verão deste ano, a região serrana do Rio de Janeiro foi cenário do pior desastre natural da história do Brasil. Mais de 900 pessoas morreram em deslizamentos de terra concentrados em Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio […]


Mancha Solar Provoca tempestades geomagnéticas na Terra

A atividade da mancha solar 1429 vem aumentando e nas últimas horas foram observados diversos flares e ejeções de massa coronal de grande intensidade. Durante a madrugada, partículas carregadas ejetadas da estrela atingiram o campo magnético da Terra, provocando tempestades geomagnéticas que atingiram o nível KP-6.  Esse impacto foi provocado pela ejeção de massa coronal (CME) ocorrida na manhã do dia 6 de março, próxima à gigantesca mancha solar 1429. Às 21h28 BRT de terça-feira, dia 6, outra CME ainda mais forte foi registrada na mesma região do Sol. O evento produziu um forte flare de classe X5, provocando um verdadeiro bombardeio de prótons que atingiu diretamente o satélite de observação solar SOHO. Essa emissão está nesse momento bombardeando o campo magnético da Terra e poderá provocar blecautes de radiopropagação e auroras boreais nas latitudes elevadas. Para percorrer os 149 milhões de km que separam a Terra do Sol, as partículas carregadas viajaram a cerca de 6 milhões de km por hora.

urandir ufo - atividade da mancha_solar_1429

Urandir UFO - simetria-galactica

Afinal o universo tem um eixo central?

 Fonte: Redação do Site Inovação Tecnológica  Pesquisadores estão levantando dúvidas sobre a pressuposta simetria do Universo. Seus cálculos parecem sugerir que, no seu início, nosso Universo girava sobre um eixo central. E que esse movimento de rotação influenciou a formação das galáxias. Os físicos e astrônomos há muito tempo acreditam que o Universo tem uma simetria de espelho, como uma bola de basquete.A imagem espelhada de uma galáxia girando no sentido horário teria, obviamente, o sentido anti-horário de rotação. Mas se os astrônomos encontrarem um número maior de galáxias girando num sentido do que em outro, isto seria uma evidência de uma quebra de simetria, ou, no jargão da física, uma violação de paridade em escala cósmica. Nova pesquisa sugere que o formato do Big Bang pode ser mais complicado do que se pensa. Como há mais galáxias espirais girando em um sentido do que em outro, pode ser que o Universo tenha um eixo central de rotação Sentido de rotação das galáxias Para aferir isso, Michael Longo e uma equipe da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, catalogaram o sentido de rotação de dezenas de milhares de galáxias espirais fotografadas pelo projeto Sloan Digital Sky Survey, que faz a catalogação de galáxias e que recentemente divulgou a maior imagem já feita do Universo. E o grupo do Dr. Longo descobriu exatamente isso, que as galáxias têm uma “preferência” para girar em uma direção. Se todas as galáxias realmente girarem no mesmo sentido, para um observador no hemisfério norte da […]


Aquecimento Global Não Existe mas sim Mudanças Climáticas Previsíveis

Esqueça o aquecimento global – com o Ciclo solar 25 não precisa se preocupar (e se os cientistas da NASA estão certos o Tâmisa será de novo congelado) Um grande estudo, publicado em dezembro passado no Jornal de Física Atmosférica e Solar-Terrestrial mostra que as mudanças climáticas observadas desde 1850 até à data estão associados com cíclicos e previsíveis eventos naturais no sistema solar da Terra com a ajuda de uma pequena contribuição limitada do nosso lado. A pesquisa foi conduzida por Nicola Scafetta, um cientista da Universidade de Duke Cavity Radiometer atividade no Solar Lab Monitor (ACRIM), associado com o Jet Propulsion Laboratory da NASA, na Califórnia. Neste desafio de pesquisa as metodologias utilizadas pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas ( IPCC ) e o uso de um “modelo de circulação geral do clima”(GCM) que ignorar essas influências principais, não reproduzem o ciclo climático observado de dez anos e da multi-década. Conforme descrito no documento, os modelos do IPCC não incorporam os efeitos da modulação das mudanças climáticas, como as nuvens. As nuvens são formadas sob a influência de raios cósmicos durante os períodos de atividade solar baixa. Na verdade, é bem conhecido que as nuvens tendem a tornar as condições mais frias. Situação testemunhada pelo “mínimo de Maunder” do século 17.  Pelo menos 50-70% do aquecimento observado no 20° século  pode estar associado a um aumento na atividade solar. Em seu estudo, o Dr. Scafetta cobra uma base de modelo astronômico, que reconstrói e relaciona […]

Urandir ufo - aquecimento global grande farsa

Urandir UFO - raios gama detectados pelo telescopio Fermi

NASA: Telescópio Fermi encontra estrutura gigantesca em nossa galáxia

 Fonte: NASA Goddard Space Flight Center As recém descobertas  bolhas de raios gama se estendem por 50.000 anos-luz, ou aproximadamente metade do diâmetro da Via Láctea, de ponta a ponta. As bordas das bolhas foram primeiramente observadas em raios-X (azul) pelo satélite ROSAT, que caiu na superfície da Terra em 24 de setembro de 2011, uma missão operacional liderada pela Alemanha na década de 1990. Os raios  gamas foram  mapeadas pelo telescópio Fermi (na cor magenta)  se estendem muito além do plano da galáxia. A estrutura gigante dos raios-gama  foi descoberta por meio do processamento do Telescópio Fermi todo o céu da galáxia. A gigantesca bolha tem 1-10 bilhões de elétron volts. A estrutura emerge do centro galáctico e se estende a 50 graus norte e sul a partir do plano da Via Láctea, que mede o céu da constelação de Virgem à constelação de Grus. Quando um elétron se move perto da velocidade da luz  e atinge um fóton de baixa energia, a colisão diminui um pouco o elétron e aumenta a energia do fóton para o regime de raios gama. As bolhas exibem um espectro com energias mais altas do que o brilho de pico de raios gama difusos visto em todo o céu. Além disso, as bolhas mostram bordas afiadas em dados Fermi LAT. Ambas estas qualidades sugerem que a estrutura surgiu em um evento súbito e impulsivo, com um pulsar da galáxia. “O que vemos são dois raios gama emissores de bolhas que se estendem  a […]


Raios Cósmicos podem ter afetado a nave Phobos-Grunt(apolo11.com)

Fonte: Apolo 11 A agência espacial russa, Roscosmos, confirmou que a perda da nave interplanetária Phobos-Grunt ocorreu devido a uma pane em um dos computadores de bordo. Agência também descartou a hipótese de sabotagem ou sobrecarga causada por sinais de radares norte-americanos. As informações foram divulgadas na terça-feira, dia 31, pelo diretor da Roscosmos, Vladimir Popovikin, que também descartou as versões divulgadas extraoficialmente por analistas russos, que sustentavam que a nave havia sido atingida por pulsos de radar. As declarações de Popovkin jogam por terra as versões que circularam nos meios de comunicação e que levantaram a suspeita de que a falha havia sido causada por emissões de radares de vigilância norte-americanos localizados nas Ilhas Marshall, no oceano Pacífico. Segundo um militar russo, a sonda teria sido atingida por poderosos pulsos eletromagnéticos emitidos por esses radares alguns minutos depois de ser lançada. No entanto, cálculos orbitais feitos pelo Apolo11-Satview descartavam essa possibilidade, já que naquele dia sonda não estava ao alcance dos radares mencionados. Raios Cósmicos De acordo com Popovkin, a causa mais provável da falha foi um intenso bombardeio de partículas pesadas proveniente do espaço cósmico. “Ao que tudo indica, dois módulos computadorizados reiniciaram e ficaram em stand-by à espera de ordens, mas algumas falhas impediram que a nave obedecesse essas ordens”. Popovkin não disse como os investigadores chegaram a essa conclusão, mas provavelmente se basearam nos blocos de dados de telemetria que foram recebidos pela Agência Espacial Europeia, ESA, durante as tentativas de contato. A autoridade também não […]

Urandir UFO - phobos_grunt_em_terra

urandir ufo -porque as estrelas brilham bebe-orion

Descubra Porquê as Estrelas Piscam

Fonte: Inovação Tecnológica, com informações da ESA O piscar das estrelas, uma impressão produzida pela atmosfera terrestre – e isto continua sendo uma impressão – mostrou ser um fato real no caso das estrelas-bebês, ainda em processo de gestação. Uma equipe de astrônomos detectou, através dos telescópios espaciais Herschel, da ESA e Spitzer da NASA, mudanças surpreendentemente rápidas no brilho de estrelas embrionárias dentro da bem-conhecida Nebulosa de Órion. As imagens obtidas pelo detector de infravermelho do Herschel, e por dois instrumentos do Spitzer, trabalhando em comprimentos de onda mais curtos, mostram uma imagem mais detalhada das estrelas em formação no coração deste que se tem como um dos objetos mais estudados pelos astrônomos. A 1.350 anos-luz da Terra, esta é uma das poucas nebulosas visíveis a olho nu. Ela contém a região de formação de grandes estrelas mais próxima da Terra, com uma luz ultravioleta intensa proveniente das estrelas jovens e quentes que transformam gases e poeira em uma zona brilhante. Nascimento de uma estrela O que agora se descobriu é que, dentro dessa poeira – oculta aos comprimentos de onda visíveis – há uma série de estrelas ainda mais jovens, na primeira fase da sua evolução. A nova combinação de imagens de infravermelho longo e médio penetrou através da poeira obscura e revelou essas estrelas embrionárias. Uma estrela se forma, acreditam os astrônomos, quando uma densa nuvem de gás e poeira se funde e colapsa sob a sua própria gravidade, criando uma proto-estrela quente central, rodeada por um […]


Como funciona a mente Humana: Os Níveis Mentais

A mente humana é uma faculdade sensorial da inteligência. Sua função é captar informações que são armazenadas nos neurônios cerebrais pelos outros sentidos normais do ser humano. Nossa mente tem condições de captar e imprimir qualquer tipo de informação em uma célula viva. Através de nossa vontade, temos condições de entrar em sintonia com qualquer centro cerebral e levar à consciência a informação que se encontra ali armazenada. De acordo com as freqüências das ondas cerebrais, os níveis mentais estão dentro de três grupos: Nível astral No nível astral, a mente atua no consciente interior, ou seja, limitada ao campo energético do corpo (aproximadamente 7 metros de circunferência em torno do corpo) e em freqüências muito lentas, em baixas vibrações: a freqüência cerebral varia de 0,1 a 8 ciclos por segundo. A atuação do cérebro nos níveis do plano astral é desenvolvida naturalmente e automaticamente. Por exemplo, as pessoas atuam no plano astral quando meditam, choram e durante a maior parte do tempo quando dormem. E fazem isso de forma natural e automática. Neste plano, ocorre a imaginação e a criação, mas não a realização com bastante intensidade ou rapidez. Ocorre autocura, por exemplo, mas com lentidão. Uma vez que as freqüências cerebrais diminuem, as energias e sua proteção também reduzem, tornando a mente e o corpo vulneráveis às energias negativas – o que não ocorre no nível mental. Além disso, o plano astral não favorece o desenvolvimento da paranormalidade e evolução mental, pois a mente precisa estar constantemente em […]


NASA: Formação de Iceberg na Antártida é monitorado

 Fonte: Gazeta do Povo e Agência EFE O monitoramento das alterações nos continentes e oceanos aumentou com os cientistas observando atentamente as alterações que ocorrem no planeta. Cientistas detectaram fissura de 29 quilômetros de extensão na Ilha Pine. Nos próximos meses, gelo deverá se desprender e se tornar um iceberg de 800 quilômetros quadrados. Integrantes  da Nasa (agência espacial americana) afirmaram no Chile que vigiam a formação de um grande iceberg, de 880 quilômetros quadrados, produto de uma rachadura que se estende ao longo de 29 quilômetros na geleira da Ilha Pine, na Antártida. A observação da enorme rachadura foi feita em voos de investigação realizados durante outubro pela equipe IceBridge, um conjunto de cientistas e técnicos da Nasa que analisam as mudanças nas camadas de gelo que cobrem a Antártida e a Groenlândia desde 2009. “Nos voos observamos uma grande fissura que indica que um grande pedaço de gelo está prestes a partir. Trata-se de uma rachadura de 280 metros de largura e de 60 metros de profundidade, mais alta que a Estátua da Liberdade”, declarou à imprensa o chefe do projeto IceBridge, Michael Studinger, em videoconferência. O cientista ressaltou que a fissura sobre a geleira da Ilha Pine “faz parte do ciclo natural” de formação dos icebergs na área ocidental da Antártida – uma região “sensível”, disse -, motivo pelo qual não acarreta risco ambiental em nível global. “A rachadura não nos preocupa, faz parte do ciclo natural. Se ocorresse de forma mais frequente poderia causar problemas ambientais”, […]


Cientistas Mostram 4 novas descobertas sobre o Universo

 Fonte: BBC Brasil A verdadeira cor da Via Láctea, exoplanetas, um observatório voador e a matéria escura estão entre as últimas descobertas da astronomia.No último congresso da Sociedade Astronômica Americana, realizado em Austin, nos Estados Unidos, de 8 a 12 de janeiro, especialistas de todo o mundo apresentaram os últimos desenvolvimentos no estudo do cosmos. Os especialistas iniciaram uma nova era no que diz respeito ao nosso conhecimento sobre outros planetas. “O telescópio Kepler e as microlentes gravitacionais estão abrindo uma espécie de nova era para a descoberta dos planetas”, diz James Palmer, especialista em ciência da BBC. Nota da Redação Dakila Pesquisas: Novos equipamentos comprovam as distorções óticas que ocorrem quando se realizam observações astronômicas. As microlentes gravitacionais proporcionaram a observação de planetas antes considerados inexistentes. A revelação da cor da Via Láctea pode ser possível porque obteve-se equipamento que driblou a interferência da poeira espacial nos observatórios instalados na Terra.  Novas ferramentas captaram a matéria escura, que  não emite radiação eletromagnética e não pode ser observada por telescópios, mas  pode ser detectada por meio de um estudo de como a luz é refletida por elementos que ficam à sua volta. Interessante será quando se confirmarem outras descobertas e que tínhamos uma visão distorcida sobre  outras leis que hoje consideramos base para o conhecimento. A afirmação da  professora Catherine Heymans, da Universidade de Edimburgo foi reveladora: “A Teoria da Relatividade de Einstein nos diz que a massa altera o espaço e o tempo, então quando a luz chega até nós, […]

Urandir UFO - exoplanetas