Category Archives : Expedições


9ª Expedição Dakila Pesquisas e Equipe Zigurats – Egito 2015

Liderados por Urandir Fernandes de Oliveira, a Equipe Zigurats e pesquisadores do Dakila Pesquisas, visitarão o Egito  na 9ª Expedição. Pela primeira vez a equipe de pesquisa visitará a terra dos faraós e participarão dessa mega expedição pelo menos 200 pesquisadores. É com muita expectativa que todos do grupo esperaram por essa grande viagem, pois o Egito faz parte do imaginário de todos que dedicam suas vidas estudando antigas civilizações, suas tecnologias e o legado que deixaram ás próximas gerações e, sem dúvidas, o Egito é o maior exemplo de legado, tecnologia e mistérios que temos atualmente, e mesmo tão pesquisado, ainda guarda muitos segredos debaixo de suas areias. Serão 10 dias percorrendo os sítios mais importantes do Egito, conhecendo suas pirâmides, seus templos, seus reis e seus mistérios. Fonte Portal Pesquisa Artigo publicado em 2015-05-02 12:22:54.

Urandir UFO - 9-Expedição-Projeto-Portal-Egito-2015-Pesquisador-Urandir

Urandir Fernandes de Oliveira e Parceria do Dakila Pesquisas com Exercito Brasileiro

Durante a segunda expedição à Amazônia o Dakila Pesquisas recebeu apoio do Exército Brasileiro. Firmou-se então uma parceria nas pesquisas realizadas na floresta Amazônica. Na selva foram encontradas evidências de remotas civilizações e  antiguissimas marcas circulares atribuídas a pouso de objetos voadores na antiguidade. Urandir Fernandes de Oliveira participou comandando a equipe Zigurats do Dakila Pesquisas. Fonte: http://www.urandirufo.com.br/ Artigo publicado em 2009-05-27 02:13:00.


Expedição da Equipe Zigurats liderada por Urandir vai ao México pesquisar a Civilização Maia

Terceira expedição conheceu as ruínas maias na penísula mexicana de Yucatan e traçou paralelo com as Amazonas A Expedição Brasil – Equipe Zigurats realizou sua terceira atividade no período de 15 a 21 de janeiro de 2010 na Península de Yucatan, Estado de Quintana Roo, no México, visitando as ruínas da civilização maia nas localidades de Chichén-Itzá, Tulum e Cobá. Participaram da terceira expedição 87 pessoas, entre elas seis da França, entre médicos, advogados, professores, geólogos, estudantes, ufólogos, empresários, etc. Com o slogan “Revelando o passado para entender o futuro”, a terceira Expedição Brasil, a exemplo das duas realizadas à Amazônia em 2005, os trabalhos se focaram na pesquisa antropológica e arqueológica, desta vez estudando as civilizações pré-colombiana maia, tolteca e asteca e sua influência no momento atual vivenciado pela humanidade e sua ligação com o Brasil, principalmente no que se refere à lenda das “amazonas” que, segundo consta, viveram muitos anos em terras brasileiras com objetivos bem diferentes do que consta da crença popular. Foram visitadas as ruínas maias de Chichén-Itzá, onde está a pirâmide de Ku-Kul-Kan (nome de um dos principais deuses maias, conhecido como “serpente emplumada”). Ku-Kul-Kan ou o templo das Amazonas (rainhas/sacerdotisas que dirigiam a civilização maia), representa o tempo, muito bem registrado em suas 18 plataformas, sendo 9 de cada lado da escada principal com o simbolismo da divisão do ano solar maia em 18 meses. A cada lado da escadaria principal há 26 baixos relevos, ou seja, 52 painéis por fachada que correspondem ao […]


No Coração do Vaticano – Expedição Zigurats Brasil

Teve cenário na Itália, especialmente em Roma uma expedição do Projeto Portal, liderada por Urandir Fernandes d  Oliveira. Com o objetivo de traçar paralelos entre simbologias de diversas culturas com as representadas pela Igreja Católica, a equipe esteve em diversos museus em Roma e, em especial, no Vaticano coração do catolicismo. Foram encontrados símbolos representativos de diferentes crenças, muitos até pagãos dentro das basílicas e templos católicos. Foi um trabalho árduo de pesquisa onde a equipe percorreu além do Vaticano, as ruínas do Coliseu, Foro Romano entre outros lugares históricos, mapeando e desvendando alguns dos mistérios da região. Artigo publicado em 2010-11-24 04:14:53.


Urandir lidera expedição Zigurats à França – Percorrendo os caminhos de Joana D’arc

Urandir Fernandes de Oliveira realizou uma expedição com outros pesquisadores do Projeto Portal em algumas localidades da França. O objetivo da expedição foi levantar informações sobre a famosa Joana D´arc. Para isso, o grupo percorreu boa parte da França, visitando desde Domrémy-la-Pucelle, o local de nascimento de Joana em 06 de janeiro de 1412, até a cidade de Rouem, local onde supostamente ela foi queimada viva em 30 de maio de 1431 com apenas 19 anos de idade. Descendente de camponeses modestos, foi uma mártir francesa canonizada pela Igreja Católica em 1920, quase cinco séculos após sua suposta morte. A pesquisa teve um cunho especial para a Equipe do Projeto Portal, pois foram encontrados indícios indiscutíveis que Joana D´arc conversava com “Anjos de Deus”, que na realidade seriam seres extraterrestres os quais passavam informações importantes. Por conta desses contatos foi perseguida pela Igreja e considerada por muitos séculos uma bruxa herege. Estranhamente após séculos de difamação a própria igreja que a perseguiu, acabou por canoniza-la como uma mártir e santa. Interessante é compararmos o que ocorreu na época com a perseguição que acontece com quem tem contatos com extraterrestres nos dias atuais. Exemplo simples disso resume-se na figura de Bilu, um ser de origem extraterrestre que já conversou com mais de mil pessoas e mesmo assim a mídia em peso difama e desacredita sua existência. Artigo publicado em 2010-11-24 04:10:10.


Urandir pesquisa a Piramide de Quéfren - Pesquisador Urandir 2015

Urandir lidera pesquisa nas Pirâmides do Egito

No dia 19 de maio de 2015 deu inicio a 9ª Expedição Equipe Zigurats Projeto Portal – Egito 2015 liderada pelo ufólogo e presidente da associação Urandir Fernandes de Oliveira. No primeiro dia, após longas horas de viagem partindo do Brasil, Estados Unidos, Canadá, Paraguai entre outros países, o grupo de 230 pesquisadores chegou a Dubai para o traslado até o destino final: a cidade do Cairo, capital do Egito. O roteiro inicial foi pesquisar as grandes pirâmides do Egito: Quéops, Quefren e Miquerinos, juntamente com a Esfinge. Símbolos da grandiosidade que foi aquela civilização  e que perdura até os dias atuais. A Pirâmide de Quéops A Pirâmide de Quéops, também conhecida como a Grande Pirâmide, é a maior e mais antiga das três pirâmides de Gizé. Acredita-se ter sido construída para ser a tumba do Faraó Quéops da quarta dinastia, cujo reinado se estendeu de 2551 a 2528 a.C. (século XXVI a.C.). É a maior das três pirâmides de Gizé: sua altura original era de 146,60 metros, mas atualmente é de apenas 137,16 m, pois falta parte do seu topo e o revestimento, que se acredita ter sido originalmente fabricado em ouro. História e arquitetura Originalmente, a Grande Pirâmide foi coberta por pedras de revestimento que formaram uma superfície externa lisa, o que se vê hoje é a estrutura central subjacente. Algumas das pedras de revestimento ainda são visíveis, uma vez que a estrutura ainda pode ser vista em torno da base. Existem diversas diferentes teorias científicas e alternativas […]


Pesquisa de Urandir no Castelo de Chambord – França

Já se preparando para a próxima expedição para a França, Urandir Fernandes de Oliveira (UFO) revela algumas informações a respeito da pesquisa realizada no Castelo de Chambord, efetuada durante a primeira expedição da Equipe Zigurats na França, no ano de 2010. Os detalhes marcantes da pesquisa foram as inscrições nas paredes do castelo. Essas inscrições, que a princípio ficam desapercebidas ou sem importância para quem visita o Castelo, pois sua imponência e grandeza desviam a atenção, eram o foco da pesquisa, que catalou todas inscrições relevantes. Concatenando as formas geométricas de algumas, principalmente as mais antigas em alguns recintos do Castelo, percebeu-se uma semelhança com simbologias conhecidas e já catalogadas pelo grupo de pesquisadores do Projeto Portal e Equipe Zigurats em várias outras localidades do planeta, tendo sido feitas em diferentes eras e por diferentes civilizações.  Muitos símbolos coincidiram com encontrados por exemplo no Vaticano e inclusive em alguns lugares de civilizações milenares na América Latina. O Castelo de Chambord é um dos mais conhecidos castelos em todo o mundo em função da sua arquitetura renascentista francesa, combinada com as formas medievais da França e estruturas clássicas da Itália. O palácio é composto de uma fortaleza central equatro torres nos cantos. Contém 440 salas, 365 lareiras e 84 escadarias. O foco da primeira expedição era percorrer os caminhos de Joana D´Arc. Já a segunda expedição programada para abril de 2012, terá como foco os pontos chave onde a lendária figura bíblica Maria Madalena cruzou. Artigo publicado em 2012-03-23 17:36:00.

Urandir Expedicao Franca  Castelo de Chambord

Expedição Equipe Zigurats – Peru Bolívia

A 5ª Expedição Brasil – Equipe Zigurats do Projeto Portal realizou pesquisa sobre as culturas dos países andinos durante nove dias no Peru e Bolívia, no período de 20 a 28 de setembro de 2011, com muito sucesso e atingindo seu objetivo, que foi traçar um paralelo entre essas civilizações em relação ao início da presença do homem na Terra e a interferência de outas inteligências neste processo. O estudo sobre o legado da legendária figura andina de Viracocha e seus auxiliares revelou surpresas no que se refere a referências sobre a participação de inteligências com conhecimentos superiores ao humano nas culturas pré-incas e incas, bem como indicou a participação de mulheres com conhecimento superior nestas mesmas civilizações, mostrando inclusive a existência de matriarcados. Além disso, os pesquisadores puderam conferir o uso de tecnologias antissísmicas nas ruínas dos  prédios de diferentes tipos de arquitetura nos sítios arqueológicos visitados, tanto nas culturas pré-incas como na dos incas, bem como formas de governo, ensino, agricultura com o cultivo e armazenamento de alimentos em terraços escalonados (se olhar pela vertical toma a forma de zigurats) nas montanhas, o que propiciava o equilíbrio do micro clima, saúde, etc. Outro fato marcante foi o mistério do transporte e o corte preciso nas enormes pedras colocadas em caminhos estreitos de montanhas altíssimas. Embora não ocorra uma chuva tropical há cem anos em algumas regiões do Peru, ocasionando desertos em várias áreas do país e desde 1970 não caia nenhuma chuva na região metropolitana de Lima, a […]