Category Archives : Ciência


Raios Cósmicos influenciam clima na terra

 Fonte: site Inovação Tecnológica Em Maio de 2011, um grupo de pesquisadores da Dinamarca e do Reino Unido demonstrou experimentalmente pela primeira vez que os raios cósmicos podem estimular a formação de gotas de água na atmosfera da Terra, conduzindo à formação de nuvens. Esta foi uma das descobertas mais importantes nos anos recentes na área da climatologia, fornecendo um novo elemento de origem natural para os modelos climáticos de longo prazo, como os utilizados pelo IPCC para avaliar as mudanças climáticas. Agora, o laboratório do CERN (A Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), o mesmo que coordena o LHC (o experimento do Grande Colisor de Hádrons), fez a primeira simulação computadorizada desse processo, um passo importante para que ele seja incluído nos modelos de previsão climática. Sementes de nuvens O projeto Nuvem (CLOUD – Cosmics Leaving OUtdoor Droplets) mostrou que os vapores-traço encontrados na baixa atmosfera conseguem explicar apenas uma parte da produção de aerossóis encontrados na atmosfera. Os aerossóis servem como “sementes”, em torno das quais a umidade se condensa para formar gotículas, iniciando o processo de formação das nuvens. Os resultados da simulação confirmaram que a ionização causada pelos raios cósmicos aumenta de forma dramática a formação de aerossóis. A poucos quilômetros de altitude, traços de ácido sulfúrico e vapor d’água podem formar aglomerados rapidamente – um processo que pode ser acelerado em 10 vezes ou mais pelos raios cósmicos. “Esses novos resultados do Projeto Cloud são importantes porque nós fizemos uma série de de primeiras observações de […]

Urandir ufo - raios cosmicos influenciam no clima

Urandir UFO - raios gama detectados pelo telescopio Fermi

NASA: Telescópio Fermi encontra estrutura gigantesca em nossa galáxia

 Fonte: NASA Goddard Space Flight Center As recém descobertas  bolhas de raios gama se estendem por 50.000 anos-luz, ou aproximadamente metade do diâmetro da Via Láctea, de ponta a ponta. As bordas das bolhas foram primeiramente observadas em raios-X (azul) pelo satélite ROSAT, que caiu na superfície da Terra em 24 de setembro de 2011, uma missão operacional liderada pela Alemanha na década de 1990. Os raios  gamas foram  mapeadas pelo telescópio Fermi (na cor magenta)  se estendem muito além do plano da galáxia. A estrutura gigante dos raios-gama  foi descoberta por meio do processamento do Telescópio Fermi todo o céu da galáxia. A gigantesca bolha tem 1-10 bilhões de elétron volts. A estrutura emerge do centro galáctico e se estende a 50 graus norte e sul a partir do plano da Via Láctea, que mede o céu da constelação de Virgem à constelação de Grus. Quando um elétron se move perto da velocidade da luz  e atinge um fóton de baixa energia, a colisão diminui um pouco o elétron e aumenta a energia do fóton para o regime de raios gama. As bolhas exibem um espectro com energias mais altas do que o brilho de pico de raios gama difusos visto em todo o céu. Além disso, as bolhas mostram bordas afiadas em dados Fermi LAT. Ambas estas qualidades sugerem que a estrutura surgiu em um evento súbito e impulsivo, com um pulsar da galáxia. “O que vemos são dois raios gama emissores de bolhas que se estendem  a […]


Erupções de vulcões podem ser previstas

Fonte: BBC e Naturlink De acordo com um novo estudo publicado na revista Nature, as erupções dos maiores vulcões do planeta podem ser previstas com várias décadas de antecedência. Estes vulcões podem produzir gases e cinzas suficientes para mudar temporariamente o clima da Terra. Os vulcanólogos referem-se à história dos grandes vulcões como “erupções formadoras de caldeira” uma vez que o magma é tão volumosos que deixa uma depressão massiva na superfície terrestre conhecida como caldeira. Os grandes vulcões do planeta, denominados supervulcões, quando entram em erupção podem provocar destruição a nível global. Estes vulcões podem permanecer centenas de milhares de ano adormecidos antes de ocorrer uma erupção. Os investigadores acreditam que os registos sísmicos e outro tipo de leituras podem ajudar-nos a prever uma erupção com alguns meses de antecedência. Agora, um novo estudo publicado na revista Nature sugere que podemos antecipar estes eventos muito mais cedo. Análises realizadas a cristais de rochas na ilha de Santorini, na Grécia, sugerem que as erupções são precedidas de um grande desenvolvimento de magma debaixo do solo que pode ser detetado através de equipamentos modernos. “Quando os vulcões acordam e o magma começa a subir até à superfície, a quebra das rochas envia sinais”, explicou o líder do estudo Tim Druitt da universidade Blaise Pascal, em França. “Obtemos sinais sísmicos que podem ser detetados tais como deformação da superfície e aumento da emissão de gases à superfície. A questão que se coloca é o que acontecerá em profundidade antes destas grandes erupções. […]

Urandir ufo - vulcoes podem ser previstos

Urandir ufo - astronautas fotografam por do sol

Astronautas fotografam por do sol

Os seis astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional fotografaram um pôr do Sol na Terra visto do espaço. Os membros da expedição 27 registraram o momento em que a América do Sul anoitece. A foto foi feita por volta das 19:37, hora local,e foi divulgada em maio de 2011. Todos os dias os tripulantes vêem, em média, 16 vezes o Sol nascer e se por. Como estão desde março no espaço, e só devem descer em setembro, isso significa que terão passado por mais de três mil auroras e crepúsculos. Para alguém aqui na Terra, seriam necessários quase 10 anos para visualizar os fenômenos tantas vezes.  Artigo publicado em 2011-10-10 04:02:39.


NASA: Formação de Iceberg na Antártida é monitorado

 Fonte: Gazeta do Povo e Agência EFE O monitoramento das alterações nos continentes e oceanos aumentou com os cientistas observando atentamente as alterações que ocorrem no planeta. Cientistas detectaram fissura de 29 quilômetros de extensão na Ilha Pine. Nos próximos meses, gelo deverá se desprender e se tornar um iceberg de 800 quilômetros quadrados. Integrantes  da Nasa (agência espacial americana) afirmaram no Chile que vigiam a formação de um grande iceberg, de 880 quilômetros quadrados, produto de uma rachadura que se estende ao longo de 29 quilômetros na geleira da Ilha Pine, na Antártida. A observação da enorme rachadura foi feita em voos de investigação realizados durante outubro pela equipe IceBridge, um conjunto de cientistas e técnicos da Nasa que analisam as mudanças nas camadas de gelo que cobrem a Antártida e a Groenlândia desde 2009. “Nos voos observamos uma grande fissura que indica que um grande pedaço de gelo está prestes a partir. Trata-se de uma rachadura de 280 metros de largura e de 60 metros de profundidade, mais alta que a Estátua da Liberdade”, declarou à imprensa o chefe do projeto IceBridge, Michael Studinger, em videoconferência. O cientista ressaltou que a fissura sobre a geleira da Ilha Pine “faz parte do ciclo natural” de formação dos icebergs na área ocidental da Antártida – uma região “sensível”, disse -, motivo pelo qual não acarreta risco ambiental em nível global. “A rachadura não nos preocupa, faz parte do ciclo natural. Se ocorresse de forma mais frequente poderia causar problemas ambientais”, […]

Urandir  ufo - fissura no gelo daantartida

raio laser no monitoramento da atsmosfera - La Palma - Teenerife

Laser ajudará no monitoramento da atmosfera terrestre

Fonte: Site Inovação Tecnológica, com informações da ESA A agência espacial europeia (ESA) demonstrou a viabilidade de usar um raio laser para monitorar os gases com efeito estufa. O objetivo é usar o laser entre dois satélites no espaço. Para aferir a técnica, contudo, os experimentos foram feitos nas ilhas Canárias onde foram disparados feixes de laser de La Palma para Tenerife. Durante duas semanas, o céu noturno entre as duas ilhas iluminou-se de luz verde – o que parecia mais uma cena do filme Guerra das Estrelas do que uma experiência para compreender a atmosfera terrestre. Espectroscopia com infravermelho A experiência foi concebida para testar a técnica de “espectroscopia de absorção diferencial no infravermelho” para medições de grande precisão de gases como o dióxido de carbono e o metano. Esta técnica irá ligar dois satélites em órbita da Terra: um funcionará como transmissor e o outro como receptor. Enquanto o feixe viaja de um para o outro, a atmosfera é analisada. O Observatório del Roque de los Muchachos fez a transmissão dos dois feixes de laser, verde e infravermelhos, dirigidos para a estação de Tenerife. A técnica conhecida como “ocultação” baseia-se no acompanhamento de sinais de satélites à medida que estes surgem ou desaparecem no horizonte, e é um método bem estabelecido de estudo da atmosfera. Já a nova técnica usa lasers infravermelhos, em vez das micro-ondas usadas no método mais comum. No comprimento de onda certo, as moléculas da atmosfera alteram o feixe de laser. Esta informação pode ser […]


Sinais Comprovam que o mundo passa por profundas mudanças

Alterações no clima, alimentos geneticamente modificados, medicamentos abundantes e crise financeira mostram que nosso planeta não é mais o mesmo. É inegável que nosso planeta está diferente. Todo dia ocorre algum fato climático novo em alguma parte do mundo, seja um terremoto, neve, enchentes, vendavais, ou lá o que for. Até nosso Sol anda meio esquisito, passando por fases de extrema calmaria seguida de outra com agitação fora do comum através de constantes explosões geomagnéticas  com emissão de massa coronal em direção à Terra, o que causa diversos problemas técnicos na área de comunicação, mas também no planeta – haja visto as auroras em locais não imaginados (seria o aumento no buraco da camada de ozônio?)  e na saúde das pessoas. As mudanças climáticas que ocorrem no planeta são cíclicas e a história da humanidade comprova esse fato. As alterações no clima afetou dezenas de civilizações e inclusive mudou a geografia terrestre por várias vezes, até chegarmos ao que conhecemos hoje, mas que certamente não será igual no futuro e talvez esse futuro esteja bem próximo, a continuar os alinhamentos planetários e até galáctico com o bombardeamento de partículas cósmicas cada vez maior, como se algo similar a um gatilho impulsionasse essas partículas em direção aos corpos celestes em uma determinada faixa de extensão. Quando os pesquisadores do Projeto Portal  e seu Centro Tecnológico Zigurats com sede em Corguinho/MS  falavam há 15 anos sobre esses fatos, eram drasticamente refutados. Hoje ainda sofrem rejeição, porém a cada dia os fatos climáticos […]

urandir ufo midia controla as informaçoes

Urandir  ufo - atomo é aprisionado pela primeira vez

Sonho de Einstein realizado: Fótom é aprisionado

Fonte: Redação do Site Inovação Tecnológica Uma equipe de pesquisadores europeus conseguiu pela primeira vez estabilizar um estado quântico de forma constante. Este foi um sonho várias vezes manifestado por Albert Einstein, que afirmava que se contentaria em observar um fóton preso por um segundo – Einstein não se dava muito bem com as predições pouco usuais da mecânica quântica, que ele nunca aceitou por completo. Clément Sayrin e seus colegas do Laboratório Kastler Brossel, na França, fizeram bem mais do que isso: eles mantiveram um número constante de fótons aprisionados dentro de uma cavidade de micro-ondas “de forma permanente”, segundo relataram em um artigo publicado na revista Nature. Caixa de fótons Essa caixa de fótons é uma cavidade de ressonância formada por dois espelhos supercondutores, onde os fótons ficam presos de forma contínua, sem precisar que eles sejam continuamente transferidos de uma armadilha para outra. Normalmente um fóton, a unidade básica da luz, somente pode ser observado quando ele desaparece. Por exemplo, quando atinge as células fotorreceptoras do nosso olho, o fóton deixa de existir e sua “informação” é traduzida na forma de um impulso elétrico que nos dá consciência de sua finada existência. Seu aprisionamento – ou estabilização, como chamam os físicos – permite que eles sejam estudados de forma direta, eventualmente sem serem afetados, algo que passou a ser cogitado há pouco tempo com a chamada “medição fraca”. Fronteira quântica-clássica Fótons e outras partículas subatômicas obedecem às regras da mecânica quântica, um tanto esquisita em relação à […]


Cientista Busca a Partícula de Deus

 Fonte: Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo GENEBRA – Apesar dos avanços na pesquisa científica, ainda conhecemos uma fração do funcionamento do universo. O alerta é do italiano Guido Tonelli, um dos dois líderes do projeto Compact Muon Solenoid (CMS), do Cern, que busca o bóson de Higgs e envolve 3 mil cientistas. O forte candidato ao Nobel, espera encontrar o elo perdido da física em um ano Nota da Redação do Projeto Portal: Como se sabe, e como já disse o ET Bilu, a nossa ciência, apesar de todo o avanço e toda a pesquisa, ainda desconhece as leis universais e tropeça em alguns parâmetros. O ET Bilu, ao revelar a teoria da Terra Convexa em seus continentes e nivelada nas águas, já disse, por exemplo,  que a Lei da Gravidade possui fatores que ainda não são conhecidos pela ciência da Terra e assim diversas outras questões do conhecimento humano, que ainda serão relevadas ou conhecidas pelo homem. O quebra-cabeça é gigantesco em todos os setores e esbarra em preconceitos, paradigmas e desafios ao nosso conhecimentoe. Toda a pesquisa que vise ampliar os horizontes é válida porque, como disse o cientista Guido Tonelli, “a vantagem de ser cientista é que sabemos o tamanho da ignorância da humanidade. Se encontrarmos o bóson de Higgs um dia, teremos desvendado apenas 4% do universo.” O CMS é uma câmera de 12,5 mil toneladas que tira fotos – com definição de 100 milhões de pixels – de choques de prótons que percorrem […]

Urandir UFO - Em busca de partícula de Deus - cern

Urandir - relogio atomico1

Tempo Mundial pode mudar em 2012

Fonte: BBC e site Inovação Tecnológica O tempo, tal como o conhecemos hoje, poderá não ser exatamente o mesmo tempo nos séculos que virão. Tanto que os cientistas da área estão discutindo uma nova definição da escala de tempo do mundo: o chamado Tempo Universal Coordenado (UTC). E a principal questão em debate é o segundo bissexto – mais especificamente, a abolição do segundo bissexto. Enquanto todo o mundo presta atenção aos anos bissextos, poucos sabem que uma “ajeitada” muito mais frequente no tempo, mas muito mais irregular, é feita constantemente (o segundo bissexto). Uma mudança que é essencial para manter o bom funcionamento dos sistemas de GPS, das telecomunicações, e até dos arquivos que você transfere pela internet. O segundo bissexto surgiu no início da atual era tecnológica, em 1972. Ele é adicionado para manter a escala de tempo medida pelos relógios atômicos em fase com a escala de tempo baseada na rotação da Terra. A razão para isto é que, enquanto os relógios atômicos, que usam as vibrações dos átomos para contar os segundos, são incrivelmente precisos, a Terra não é um cronometrista tão confiável quanto se acreditava – isto graças a uma ligeira oscilação que ela sofre conforme gira sobre seu próprio eixo: “Desde a década de 1920 já se sabe que o movimento da Terra não é tão constante como tínhamos pensado inicialmente,” explica Rory McEvoy, curador de “horologia” do observatório de Greenwich, no Reino Unido. Essa variação natural da Terra significa que as horas medidas pelos […]


Mapeamento geotécnico não é eficiente na prevenção de desastres

As consequências dos desastres naturais do Brasil evidenciam cada vez mais, a fragilidade do país para lidar com o assunto. Hoje, apenas 3,4% dos municípios possuem cartas geotécnicas, um instrumento essencial para prevenir catástrofes naturais. Segundo um levantamento do governo federal, 735 municípios em nove Estados brasileiros têm áreas com risco de deslizamento. Do total, apenas 25 dispõem de cartas geotécnicas dos morros e das encostas. As cartas revelam aspectos fundamentais do problema e podem servir de base para a aplicação de ações das autoridades responsáveis. Em outras palavras, o mapeamento faz uma análise técnica do tipo de solo e das rochas, e da declividade das encostas de determinado local, além do comportamento do terreno frente a uma possível ocupação urbana, ficando mais fácil detectar os riscos reais da região. É claro, que só o mapeamento detalhado de uma região não bastaria. Ele só serviria num trabalho conjunto com ações governamentais. De qualquer maneira é um bom começo no qual ainda estamos longe. “O Brasil não tem um levantamento completo, sistemático, permanente e os estudos de risco geológico são essenciais, são o principal instrumento de segurança”, explica o geólogo Renato Eugênio de Lima, diretor do Centro de Apoio Científico em Desastres da Universidade Federal do Paraná. No verão deste ano, a região serrana do Rio de Janeiro foi cenário do pior desastre natural da história do Brasil. Mais de 900 pessoas morreram em deslizamentos de terra concentrados em Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio […]

urandir ufo mapeamento geotecnico

Urandir ufo - neutinos podem viajar mais rapido que velocidade da luz

Neutrinos podem ter viajado mais rápido que a luz

Quando, há poucos mais de um ano, cientistas do experimento Opera detectaram neutrinos transmutando-se de um tipo em outro, eles logo falaram da descoberta de uma “nova física”. E eles aparentemente já tinham nas mãos outros resultados ainda mais surpreendentes. Depois de dois anos de medições, e inúmeras revisões e checagens, eles finalmente resolveram compartilhar sua possível descoberta com outros pesquisadores. Segundo Antonio Ereditato, da Universidade de Berna, na Suíça, a equipe aparentemente detectou neutrinos viajando mais rápido do que a velocidade da luz.   Quebra da relatividade? Se neutrinos podem viajar mais rápido do que a velocidade da luz, então o preceito fundamental de que as leis da física são as mesmas para todos os observadores cai por terra.  A ideia de que nada pode viajar mais rapidamente do que a luz é um pilar da teoria da relatividade especial, formulada por Einstein. E esta teoria está na base de toda a física moderna. Isto sim, pode apontar para uma “nova física” – desde que os outros pesquisadores não encontrem erros no experimento e nas análises. “Nós tentamos por todos os meios descobrir um erro – erros triviais, erros mais complicados, efeitos impensáveis – mas não conseguimos encontrar nenhum,” disse Ereditato. Depois de tantos cuidados, ele e sua equipe afirmam ter alcançado um nível seis sigma, que indicaria uma descoberta científica realmente válida. Tudo vai depender do escrutínio que será feito nos dados por equipes de físicos do mundo todo. “Dadas as potenciais consequências de longo alcance desse resultado, medições independentes serão necessárias […]


Já Ouviu Falar da Dioxina? Talvez Você Também Esteja Intoxicado.

No Brasil, o assunto é praticamente desconhecido e talvez você também nunca tenha sequer escutado este nome um dia. A dioxina é uma família de substâncias químicas que contém carbono, hidrogênio e cloro. A encontramos em boa parte dos alimentos, nos produtos de higiene pessoal, em produtos de plástico (principalmente quando entram em contato com algum tipo de calor), etc. Produtos que passem por um processo brusco de branqueamento e posteriormente entrem em contato com o nosso corpo liberam esta toxina e por consequência, nós a absorvemos. Ela é mais um tóxico causador de uma série de adversidades na saúde, incluindo o retardamento no desenvolvimento e aprendizado, falta de memória, anormalidades no sistema reprodutivo e imunológico, diabetes e possui alto potencial cancerígeno. Sem saber do perigo que esta substância causa ao entrar em contato com o nosso corpo, milhares de pessoas do mundo inteiro compram alimentos que já vem aquecidos em embalagens de isopor. Para melhor exemplificar tamanho malefício, apenas uma marmita de isopor é capaz de liberar uma quantidade de dioxina que equivale a 5 meses consecutivos bebendo diariamente pelo menos 4 unidades de uma bebida aquecida e posteriormente adicionada em embalagens de plástico ou isopor. Pra piorar, você sabia que já vem sendo intoxicado desde criança (por falta de conhecimento) pelos seus pais? Pois dificilmente se encontra alguém que quando bebê não tomou mamadeira em uma embalagem de plástico aquecida. Como se não bastasse, o governo não se preocupa em regular o transporte de galões de água mineral […]

urandir, urandir oliveira, urandir fernandes, ufo, dakila, dakila pesquisas, dioxina, dioxin, mamadeira aquecida, mamadeira de plastico, plastico aquecido, agua aquecida no carro, absorventes, papel hi

cinturao-de-fotons projeto portal

O Cinturão de Fotons

O Sistema Solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades. Esta foi a conclusão dos astrônomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos. O nosso Sol, neste complexo, está localizado a aproximadamente 28 graus de Touro, e leva quase 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione. A divisão desta órbita por doze resulta em, aproximadamente, 2.150 anos, tempo de duração de cada era. Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas (incluindo o nosso), que foi chamado de cinturão de fótons. Um fóton é um quantum (partícula) de energia eletromagnética, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética, algo que ainda se tem pouco conhecimento na Terra. O fenômeno do Cinturão de Fótons é um fenômeno astronômico. Percebido pela primeira vez em 1961, detectado através de satélites, a descoberta do Cinturão de Fótons, marca o início de uma expansão da consciência além da terceira dimensão. Essa precessão do nosso sistema solar em sentido anti-horário ao redor de Alcione é um fenômeno cíclico e dura, aproximadamente, 25.650 anos. Para cada órbita completa em torno de Alcione, nosso Sistema Solar mergulha por duas vezes nesse anel de micro partículas de radiação, uma vez para o norte e uma vez para o sul. A passagem por este “anel de fótons” leva, aproximadamente, 2000 anos. Estudos indicam que […]


Depósito de Terras Raras encontrado em Oceano Pacífico

 Fonte: BBC e Inovação Tecnológica Pesquisadores japoneses dizem ter encontrado vastos depósitos de minerais de terras raras, utilizados em equipamentos de alta tecnologia, no solo do Oceano Pacífico.Geólogos estimam que existam atualmente 110 bilhões de toneladas de elementos raros no fundo do Pacífico. Os pesquisadores japoneses estimam ter encontrado entre 80 e 100 toneladas de minerais raros no leito oceânico a profundidades entre 3,5 mil e 6 mil metros abaixo da linha d’água. O Brasil tem uma das maiores reservas de terras raras do mundo, mas virtualmente sem exploração Atualmente, a China responde por 97% da produção de 17 metais provenientes de terras raras, muitas vezes chamados de “ouro do século 21″, por serem raros e valiosos.  O quase monopólio de produção exercido pela China levou o país a restringir o fornecimento dos metais raros no ano passado, durante uma disputa territorial com o Japão. Esses minerais são usados em iPods, TVs de tela plana, carros elétricos, mísseis, óculos de visão noturna, turbinas e imãs supercondutores, por exemplo. Além da China, as reservas são encontradas também na Rússia, em outras ex-repúblicas soviéticas, nos Estados Unidos, na Austrália e na Índia. Terras raras no mar A descoberta foi divulgada pela publicação científica britânica Nature Geoscience, que relatou que a equipe de cientistas comanda por Yasuhiro Kato, professor de geociências da Universidade de Tóquio, encontrou os minerais em 78 locais diferentes na lama oceânica do Pacífico. “Os depósitos contêm uma uma forte concentração de terras raras. Apenas um quilômetro quadrado dos depósitos será capaz de atender […]

Urandir UFO - depósito de terras raras encontrado no pacífico - mineração no mar