Minerais Capazes de Curar a Doença de Alzheimer

Infelizmente o Alzheimer é a mais frequente doença neurodegenerativa na espécie humana.  É responsável por provocar uma deterioração na memória, atenção, concentração, linguagem, pensamento, entre outras inúmeras consequências. O objetivo desta matéria é passar o conhecimento que a Associação Dakila Pesquisas liderada por Urandir Fernandes de Oliveira descobriu que auxilia muito na melhoria desta doença. Em inúmeros casos, acontece a cura completa. Para prevenir:  Magnésio Quelado –  500 mg Enxofre – 2 gramas Óleo de coco – 2 colheres de sopa Para quem já desenvolveu a doença: Magnésio Quelado – 500 mg Enxofre – de 4 a 6 gramas Óleo de coco – 2 a 4 colheres de sopa Partindo da ideia de que os alimentos foram perdendo a sua taxa nutricional ao longo dos anos, em muitos casos a suplementação torna-se necessária e é bastante eficaz (procure um nutrólogo de confiança para que ele te auxilie nesta parte). Caso você conheça alguém que possui a doença de Alzheimer, passe esta informação adiante. Já que a medicina diz que não tem cura, o que ela teria a perder? Acredite na cura. As vitaminas proporcionam maravilhas para o nosso corpo!  Não subestime um corpo bem nutrido. 

urandir, urandir oliveira, dakila, dakila pesquisas, enxofre, magnesio, alzheimer, doenca de alzheimer, ciencia lilarial

Urandir UFO - terremotos no espaço e terra

Cientistas descobrem novo fenômeno natural: o terremoto espacial

Fonte:  Apolo11 Utilizando dados de uma frota de cinco satélites científicos, pesquisadores da Nasa descobriram uma nova manifestação de clima espacial. O fenômeno é produzido pelo vento solar ao atingir a magnetosfera da Terra e por sua semelhança ao que ocorre no solo, foi batizado de “terremoto espacial”. De modo bem simplificado, um terremoto espacial (ou spacequake) é um forte tremor no campo magnético da Terra e que apesar de ser observado com mais intensidade na órbita do planeta, não é exclusivo do espaço e seus efeitos podem se propagar por todo o caminho até a superfície. “As reverberações magnéticas podem ser detectadas em todo o globo, da mesma forma que os sismômetros detectam um grande terremoto”, disse Vassilis Angelopoulos, principal investigador dos dados dos satélites THEMIS e ligado à Universidade da Califórnia, em Los Angeles. No entender de Evgeny Panov, do Instituto de Pesquisas da Áustria, “essa analogia é excelente, pois a energia total contida em um spacequake pode até superar a energia contida em um terremoto de magnitude 5 ou 6″. Os resultados do trabalho de Panov já haviam sido reportados em abril de 2010 na edição do periódico científico Geophysical Research Letters. Em 2007, a equipe THEMIS descobriu o precursor dos spacequakes. A ação tem início na cauda magnética da Terra, que se estende como uma biruta à mercê dos intensos ventos solares de quase 2 milhões de km/h. Segundo o estudo, em algumas ocasiões essa cauda se estica tanto que em dado momento se rompe como […]


Raios Cósmicos influenciam clima na terra

 Fonte: site Inovação Tecnológica Em Maio de 2011, um grupo de pesquisadores da Dinamarca e do Reino Unido demonstrou experimentalmente pela primeira vez que os raios cósmicos podem estimular a formação de gotas de água na atmosfera da Terra, conduzindo à formação de nuvens. Esta foi uma das descobertas mais importantes nos anos recentes na área da climatologia, fornecendo um novo elemento de origem natural para os modelos climáticos de longo prazo, como os utilizados pelo IPCC para avaliar as mudanças climáticas. Agora, o laboratório do CERN (A Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), o mesmo que coordena o LHC (o experimento do Grande Colisor de Hádrons), fez a primeira simulação computadorizada desse processo, um passo importante para que ele seja incluído nos modelos de previsão climática. Sementes de nuvens O projeto Nuvem (CLOUD – Cosmics Leaving OUtdoor Droplets) mostrou que os vapores-traço encontrados na baixa atmosfera conseguem explicar apenas uma parte da produção de aerossóis encontrados na atmosfera. Os aerossóis servem como “sementes”, em torno das quais a umidade se condensa para formar gotículas, iniciando o processo de formação das nuvens. Os resultados da simulação confirmaram que a ionização causada pelos raios cósmicos aumenta de forma dramática a formação de aerossóis. A poucos quilômetros de altitude, traços de ácido sulfúrico e vapor d’água podem formar aglomerados rapidamente – um processo que pode ser acelerado em 10 vezes ou mais pelos raios cósmicos. “Esses novos resultados do Projeto Cloud são importantes porque nós fizemos uma série de de primeiras observações de […]

Urandir ufo - raios cosmicos influenciam no clima

Urandir UFO - raios gama detectados pelo telescopio Fermi

NASA: Telescópio Fermi encontra estrutura gigantesca em nossa galáxia

 Fonte: NASA Goddard Space Flight Center As recém descobertas  bolhas de raios gama se estendem por 50.000 anos-luz, ou aproximadamente metade do diâmetro da Via Láctea, de ponta a ponta. As bordas das bolhas foram primeiramente observadas em raios-X (azul) pelo satélite ROSAT, que caiu na superfície da Terra em 24 de setembro de 2011, uma missão operacional liderada pela Alemanha na década de 1990. Os raios  gamas foram  mapeadas pelo telescópio Fermi (na cor magenta)  se estendem muito além do plano da galáxia. A estrutura gigante dos raios-gama  foi descoberta por meio do processamento do Telescópio Fermi todo o céu da galáxia. A gigantesca bolha tem 1-10 bilhões de elétron volts. A estrutura emerge do centro galáctico e se estende a 50 graus norte e sul a partir do plano da Via Láctea, que mede o céu da constelação de Virgem à constelação de Grus. Quando um elétron se move perto da velocidade da luz  e atinge um fóton de baixa energia, a colisão diminui um pouco o elétron e aumenta a energia do fóton para o regime de raios gama. As bolhas exibem um espectro com energias mais altas do que o brilho de pico de raios gama difusos visto em todo o céu. Além disso, as bolhas mostram bordas afiadas em dados Fermi LAT. Ambas estas qualidades sugerem que a estrutura surgiu em um evento súbito e impulsivo, com um pulsar da galáxia. “O que vemos são dois raios gama emissores de bolhas que se estendem  a […]


Pesquisadores do Dakila Pesquisas desvendam mistério em Guajará Mirim

Equipe de pesquisadores do Dakila Pesquisas investigou no final de janeiro o fenômeno do aparecimento de luzes na localidade Sétima Linha, em Guajará Mirim, distante 331 km de Porto Velho, Rondônia. Liderados pelo presidente da Associação Dakila Pesquisas, Urandir Fernandes de Oliveira, a equipe dividiu-se em três e, com rádios e câmeras de filmagens, constatou que o fenômeno é físico, não se tratando de manifestações procedentes de realidades paralelas. Eles estavam acompanhados pelo pastor Aryzoli que tem familiares naquela localidade e que em novembro do ano passado procurou Urandir em São Paulo para que esse fenômeno fosse investigado. A Sétima Linha termina na BR 325, que liga Guajará Mirim a Porto Velho. Naquele local é comum o tráfego de veículos e caminhões. Integraram a equipe o presidente da Associação Dakila Pesquisas, Urandir Fernandes de Oliveira, Alan Fernandes de Oliveira, Alex Sander de Oliveira, Sandro Paulino de Faria, Telmo Flores, Saulo Vitale, Luciano Parraga, Wilmar Greven dos Santos e Celina Bessa. Veja o vídeo. Artigo publicado em 2012-03-07 03:10:29.


No Coração do Vaticano – Expedição Zigurats Brasil

Teve cenário na Itália, especialmente em Roma uma expedição do Projeto Portal, liderada por Urandir Fernandes d  Oliveira. Com o objetivo de traçar paralelos entre simbologias de diversas culturas com as representadas pela Igreja Católica, a equipe esteve em diversos museus em Roma e, em especial, no Vaticano coração do catolicismo. Foram encontrados símbolos representativos de diferentes crenças, muitos até pagãos dentro das basílicas e templos católicos. Foi um trabalho árduo de pesquisa onde a equipe percorreu além do Vaticano, as ruínas do Coliseu, Foro Romano entre outros lugares históricos, mapeando e desvendando alguns dos mistérios da região. Artigo publicado em 2010-11-24 04:14:53.


Urandir lidera expedição Zigurats à França – Percorrendo os caminhos de Joana D’arc

Urandir Fernandes de Oliveira realizou uma expedição com outros pesquisadores do Projeto Portal em algumas localidades da França. O objetivo da expedição foi levantar informações sobre a famosa Joana D´arc. Para isso, o grupo percorreu boa parte da França, visitando desde Domrémy-la-Pucelle, o local de nascimento de Joana em 06 de janeiro de 1412, até a cidade de Rouem, local onde supostamente ela foi queimada viva em 30 de maio de 1431 com apenas 19 anos de idade. Descendente de camponeses modestos, foi uma mártir francesa canonizada pela Igreja Católica em 1920, quase cinco séculos após sua suposta morte. A pesquisa teve um cunho especial para a Equipe do Projeto Portal, pois foram encontrados indícios indiscutíveis que Joana D´arc conversava com “Anjos de Deus”, que na realidade seriam seres extraterrestres os quais passavam informações importantes. Por conta desses contatos foi perseguida pela Igreja e considerada por muitos séculos uma bruxa herege. Estranhamente após séculos de difamação a própria igreja que a perseguiu, acabou por canoniza-la como uma mártir e santa. Interessante é compararmos o que ocorreu na época com a perseguição que acontece com quem tem contatos com extraterrestres nos dias atuais. Exemplo simples disso resume-se na figura de Bilu, um ser de origem extraterrestre que já conversou com mais de mil pessoas e mesmo assim a mídia em peso difama e desacredita sua existência. Artigo publicado em 2010-11-24 04:10:10.


Urandir UFO- Nações com poder nuclear

Bancos Financiam Armas Nucleares

A indústria mundial de armas nucleares é financiada e mantida viva por mais de 300 bancos, fundos de pensão, companhias de seguros e gestores de ativos, segundo um estudo divulgado pela Campanha Internacional para Abolir as Armas Nucleares (Ican). Estas instituições realizam substanciais investimentos na produção de armas atômicas. O estudo, de 180 páginas, diz que as nações com poderio nuclear gastam mais de US$ 100 bilhões ao ano fabricando novas ogivas, modernizando as velhas e construindo mísseis balísticos, bombardeiros e submarinos para lançá-las. Grande parte deste trabalho é feito por corporações como BAE Systems e Babcock International, na Grã-Bretanha, Lockheed Martin e Northrop Grumman, nos Estados Unidos, Thales e Safran, na França, e Larsen & Toubro, na Índia. “Instituições financeiras investem nestas companhias fornecendo empréstimos e comprando ações e bônus”, afirma o documento, considerado o primeiro de seu tipo. Com o título Dont Bank on the Bomb: The Global Financing of Nuclear Weapons Producers (Não confiem na bomba: o financiamento mundial dos produtores de armas nucleares), o estudo fornece detalhes das transações financeiras com 20 empresas intensamente envolvidas na fabricação, manutenção e modernização das forças atômicas norte-americanas, britânicas, francesas e indianas. É necessária uma urgente campanha coordenada mundial pelo desinvestimento em armas nucleares, destaca o informe. Um movimento assim poderia ajudar a frear os programas de modernização e fortalecimento de armamentos e impulsionar as negociações para uma proibição universal desse tipo de bombas. “Deixar de investir nas companhias de armas nucleares é uma forma efetiva de o mundo corporativo […]


Erupções de vulcões podem ser previstas

Fonte: BBC e Naturlink De acordo com um novo estudo publicado na revista Nature, as erupções dos maiores vulcões do planeta podem ser previstas com várias décadas de antecedência. Estes vulcões podem produzir gases e cinzas suficientes para mudar temporariamente o clima da Terra. Os vulcanólogos referem-se à história dos grandes vulcões como “erupções formadoras de caldeira” uma vez que o magma é tão volumosos que deixa uma depressão massiva na superfície terrestre conhecida como caldeira. Os grandes vulcões do planeta, denominados supervulcões, quando entram em erupção podem provocar destruição a nível global. Estes vulcões podem permanecer centenas de milhares de ano adormecidos antes de ocorrer uma erupção. Os investigadores acreditam que os registos sísmicos e outro tipo de leituras podem ajudar-nos a prever uma erupção com alguns meses de antecedência. Agora, um novo estudo publicado na revista Nature sugere que podemos antecipar estes eventos muito mais cedo. Análises realizadas a cristais de rochas na ilha de Santorini, na Grécia, sugerem que as erupções são precedidas de um grande desenvolvimento de magma debaixo do solo que pode ser detetado através de equipamentos modernos. “Quando os vulcões acordam e o magma começa a subir até à superfície, a quebra das rochas envia sinais”, explicou o líder do estudo Tim Druitt da universidade Blaise Pascal, em França. “Obtemos sinais sísmicos que podem ser detetados tais como deformação da superfície e aumento da emissão de gases à superfície. A questão que se coloca é o que acontecerá em profundidade antes destas grandes erupções. […]

Urandir ufo - vulcoes podem ser previstos

Urandir ufo - astronautas fotografam por do sol

Astronautas fotografam por do sol

Os seis astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional fotografaram um pôr do Sol na Terra visto do espaço. Os membros da expedição 27 registraram o momento em que a América do Sul anoitece. A foto foi feita por volta das 19:37, hora local,e foi divulgada em maio de 2011. Todos os dias os tripulantes vêem, em média, 16 vezes o Sol nascer e se por. Como estão desde março no espaço, e só devem descer em setembro, isso significa que terão passado por mais de três mil auroras e crepúsculos. Para alguém aqui na Terra, seriam necessários quase 10 anos para visualizar os fenômenos tantas vezes.  Artigo publicado em 2011-10-10 04:02:39.


NASA: Formação de Iceberg na Antártida é monitorado

 Fonte: Gazeta do Povo e Agência EFE O monitoramento das alterações nos continentes e oceanos aumentou com os cientistas observando atentamente as alterações que ocorrem no planeta. Cientistas detectaram fissura de 29 quilômetros de extensão na Ilha Pine. Nos próximos meses, gelo deverá se desprender e se tornar um iceberg de 800 quilômetros quadrados. Integrantes  da Nasa (agência espacial americana) afirmaram no Chile que vigiam a formação de um grande iceberg, de 880 quilômetros quadrados, produto de uma rachadura que se estende ao longo de 29 quilômetros na geleira da Ilha Pine, na Antártida. A observação da enorme rachadura foi feita em voos de investigação realizados durante outubro pela equipe IceBridge, um conjunto de cientistas e técnicos da Nasa que analisam as mudanças nas camadas de gelo que cobrem a Antártida e a Groenlândia desde 2009. “Nos voos observamos uma grande fissura que indica que um grande pedaço de gelo está prestes a partir. Trata-se de uma rachadura de 280 metros de largura e de 60 metros de profundidade, mais alta que a Estátua da Liberdade”, declarou à imprensa o chefe do projeto IceBridge, Michael Studinger, em videoconferência. O cientista ressaltou que a fissura sobre a geleira da Ilha Pine “faz parte do ciclo natural” de formação dos icebergs na área ocidental da Antártida – uma região “sensível”, disse -, motivo pelo qual não acarreta risco ambiental em nível global. “A rachadura não nos preocupa, faz parte do ciclo natural. Se ocorresse de forma mais frequente poderia causar problemas ambientais”, […]

Urandir  ufo - fissura no gelo daantartida

Urandir Paranormal

Como funciona a Paranormalidade

Muito se fala em paranormalidade e nas pessoas que conseguiram desenvolver essas faculdades e realizam fenômenos interessantes. Tais fenômenos não apresentam uma explicação racional, inclusive uma parte dos cientistas afirma que eles simplesmente não existem. Mas com o passar do tempo a ciência foi evoluindo, passou a estudar tais fenômenos, concluindo que eles são possíveis de se realizar, são reais. Cada uma destas habilidades foi catalogada e classificada, de acordo como o direcionamento que cada um dá a eles. Em geral, ao ouvir falar em paranormalidade as pessoas pensam em alguém que nasceu com dons especiais. Na verdade, paranormal é apenas aquele indivíduo que aprendeu a coordenar seus próprios pensamentos e desejos conseguindo, com isso, canalizar energias para que atuem de forma favorável em seus propósitos. Ninguém ensina nada a ninguém, apenas se troca conhecimentos, principalmente quando tentamos nos preencher interiormente. O equilíbrio vibracional deve ser nosso principal objetivo, para que possamos, a partir dele, atingir outro nível de consciência. Pela alteração do campo vibracional de um indivíduo, com a expansão de sua aura, ele pode manipular este tipo de energia, canalizando-a para os objetivos que ele almeja. Normalmente o ser humano nasce inteligente, mas cada um desenvolve a inteligência à sua maneira, de acordo com a sua circunstância de vida. A paranormalidade nada mais é do que um treinamento, que cada um pode obter desenvolvendo-se através da prática e de exercícios específicos. Assim, a paranormalidade não é um dom especial de poucos. Qualquer um pode se tornar um paranormal. […]


UFO – Urandir Fernandes de Oliveira e o Dakila Pesquisas

 Urandir Fernandes Oliveira, conhecido como UFO (sigla do seu nome), é bastante conhecido no meio ufológico brasileiro e internacional. É perseguido por muitos que o acusam de ser fraude. Porém é comprovado o fato de sua paranormalidade e de sua parceria com extraterrestres, alguns até filmados por equipes de TV. Urandir nasceu em 14 de março de 1963, em Marabá Paulista, no interior de São Paulo. É filho de comerciário, tem cinco irmãos e três irmãs. Desde os 8 anos impressionava seus irmãos entortando talheres na cozinha. Aos 13 anos teria tido seu primeiro encontro com um extraterrestre, em São Paulo. Era um ser alto, com cabelos louros, olhos como de gato. Para que fosse possível a comunicação, sua freqüência mental foi acelerada pelo ser. A partir de então passou a ter poderes sobre a matéria, entortando metais, provocando fluorescência nas mãos, e acendendo luzes “com a força da mente”. Artigo publicado em 2009-05-05 15:31:00.


Expedição da Equipe Zigurats liderada por Urandir vai ao México pesquisar a Civilização Maia

Terceira expedição conheceu as ruínas maias na penísula mexicana de Yucatan e traçou paralelo com as Amazonas A Expedição Brasil – Equipe Zigurats realizou sua terceira atividade no período de 15 a 21 de janeiro de 2010 na Península de Yucatan, Estado de Quintana Roo, no México, visitando as ruínas da civilização maia nas localidades de Chichén-Itzá, Tulum e Cobá. Participaram da terceira expedição 87 pessoas, entre elas seis da França, entre médicos, advogados, professores, geólogos, estudantes, ufólogos, empresários, etc. Com o slogan “Revelando o passado para entender o futuro”, a terceira Expedição Brasil, a exemplo das duas realizadas à Amazônia em 2005, os trabalhos se focaram na pesquisa antropológica e arqueológica, desta vez estudando as civilizações pré-colombiana maia, tolteca e asteca e sua influência no momento atual vivenciado pela humanidade e sua ligação com o Brasil, principalmente no que se refere à lenda das “amazonas” que, segundo consta, viveram muitos anos em terras brasileiras com objetivos bem diferentes do que consta da crença popular. Foram visitadas as ruínas maias de Chichén-Itzá, onde está a pirâmide de Ku-Kul-Kan (nome de um dos principais deuses maias, conhecido como “serpente emplumada”). Ku-Kul-Kan ou o templo das Amazonas (rainhas/sacerdotisas que dirigiam a civilização maia), representa o tempo, muito bem registrado em suas 18 plataformas, sendo 9 de cada lado da escada principal com o simbolismo da divisão do ano solar maia em 18 meses. A cada lado da escadaria principal há 26 baixos relevos, ou seja, 52 painéis por fachada que correspondem ao […]


Laser ajudará no monitoramento da atmosfera terrestre

Fonte: Site Inovação Tecnológica, com informações da ESA A agência espacial europeia (ESA) demonstrou a viabilidade de usar um raio laser para monitorar os gases com efeito estufa. O objetivo é usar o laser entre dois satélites no espaço. Para aferir a técnica, contudo, os experimentos foram feitos nas ilhas Canárias onde foram disparados feixes de laser de La Palma para Tenerife. Durante duas semanas, o céu noturno entre as duas ilhas iluminou-se de luz verde – o que parecia mais uma cena do filme Guerra das Estrelas do que uma experiência para compreender a atmosfera terrestre. Espectroscopia com infravermelho A experiência foi concebida para testar a técnica de “espectroscopia de absorção diferencial no infravermelho” para medições de grande precisão de gases como o dióxido de carbono e o metano. Esta técnica irá ligar dois satélites em órbita da Terra: um funcionará como transmissor e o outro como receptor. Enquanto o feixe viaja de um para o outro, a atmosfera é analisada. O Observatório del Roque de los Muchachos fez a transmissão dos dois feixes de laser, verde e infravermelhos, dirigidos para a estação de Tenerife. A técnica conhecida como “ocultação” baseia-se no acompanhamento de sinais de satélites à medida que estes surgem ou desaparecem no horizonte, e é um método bem estabelecido de estudo da atmosfera. Já a nova técnica usa lasers infravermelhos, em vez das micro-ondas usadas no método mais comum. No comprimento de onda certo, as moléculas da atmosfera alteram o feixe de laser. Esta informação pode ser […]

raio laser no monitoramento da atsmosfera - La Palma - Teenerife